04 novembro 2009

HÁ LIXO NOS OCEANOS


A existência de uma mancha de lixo no oceano pacífico foi predita em 1988 numa publicação da agencia nacional oceânica e administração atmosférica dos Estados Unidos – The National Oceanic and Atmospheric Administration of The United States (NOAA) e, ainda, a agência especificou a Região Norte do Giro do Pacífico como localização deste acúmulo.

A informação foi baseada nos resultados obtidos por pesquisadores do Alaska entre os anos de 1985 e 1988 que encontraram altas concentrações de detritos marinhos acumulados em regiões costeiras trazidos por correntes marítimas.

O redemoinho ou giro ou a ilha do pacífico foi descoberto em 1997 por Charles Moore – oceanógrafo - que ignorando os alertas de não passar pela região, onde faltam ventos e correntes, acabou descobrindo o acumulado de lixo.

Durante sua viagem, o oceanógrafo encontrou pedaços de garrafas, sacos plásticos, seringas e uma variedade enorme de outros objetos de plástico em vários estados de conservação, já que, devido à ação do sol e dos ventos, o material se desintegra em fragmentos pequenos que flutuam durante anos, obedecendo às correntes marítimas.

Atualmente, pesquisadores, estimam que haja aproximadamente 6 milhões de toneladas de lixo plástico e em julho/09 uma expedição de cientistas e ambientalistas saiu para estudar o local conhecido como “A Ilha de lixo do Norte do Pacifico” e encontrar soluções para o problema.

World Biggest Garbage Dump - Plastic in the Ocean

video


Na Ilha Kiwayu, que faz parte O ciclo de “vida” desses chinelos seria de certa forma, resumidamente, assim: a Fabrica de Chinelos produz e lança este tipo de calçado no Mercado Consumidor ; ocorre a compra do chinelo pelo Consumidor que quando perde utilidade vai para o Lixo ou é inapropriadamente jogados fora; chuvas ou outro tipo de meio os acaba levando para o mar e, de algum modo, vai parar numa praia e a população local teve de encontrar uma solução para todo esse volume de borracha entregue pelo oceano.


O filme "Aviagem do chinelo" mostra como um item, totalmente integrado a cultura de um local, torna-se um problema para outra localidade e a solução encontrada por esse povo.


The Flip Flopsam Trip

video


“Já foi encontrada tartarugas marinhas com úlceras gástricas devido a ingestão de plástico e aqui na Bacia de Campos o principal vilão são os ear plugs (protetores auriculares).”

As tartarugas alimentam-se essencialmente de água-vivas e outros organismos gelatinosos, confundindo o lixo plástico com os mesmos. Basta um pequeno detrito plástico ingerido para obstruir o estômago do animal e condená-lo a uma morte lenta e dolorosa.

O Projeto Lixo Marinho surgiu com a idéia de estabelecer um Programa Brasileiro de Monitoramento do Lixo Marinho e tem como principal objetivo aumentar o conhecimento sobre o lixo marinho no Oceano Atlântico Sul Ocidental e, mais especificamente, nas zonas costeiras e marinhas brasileiras, por meio do estabelecimento de um canal aberto para troca de informações sobre a problemática do lixo marinho.

A informação de tartarugas com gastrite foi nos dada por um biólogo durante um treinamento de educação ambiental numa unidade de perfuração na Bacia de Campos e esta apresentou resultado imediato, pois um funcionário aplicou a Regra do Três Rs (Reduzir, Reutilizar e Reciclar) e REUTILIZOU garrafas pet da unidade para serem reutilizadas como dispositivo de coleta dos protetores auriculares usados e, também, para as suas embalagens.

Certificação ISO 14001:2004, Plano de Gerenciamento de Resíduos e a obrigatoriedade da Legislação Ambiental Brasileira norteiam o ambiente offshore brasileiro na busca de gestão de negócios sustentáveis à industria do petróleo no Brasil que por enquanto ocorre muito mais pelas multas altíssimas do que consciência ambiental e desenvolvimento sustentável.

Fontes de Consultadas:
1.Artigo "The Great Pacific Patch" do site Wikipédia: http://en.wikipedia.org/wiki/Great_Pacific_Garbage_Patch
2.Artigo "Expedição parte em busca de ilha de lixo maior que o Texas no pacífico", de Laura Plitt para o portal de notícias BBC Brasil: http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2009/07/090730_ilhalixoexpedicaofn.shtml
3.Artigo "Lixo gera renda no Quênia", de Cristiane de Cássia para o Jornal O Globo, caderno Razão Social, pág.09, em 03 Nov 2009.
4.Vídeos "World Biggest Garbage Dump - Plastic in the Ocean" e "The Flip Flopsam Trip" ambos encontrados em: http://www.youtube.com e http://www.wwf.org
5."O Projeto Lixo Marinho": http://www.lixomarinho.org

Nenhum comentário:

Postar um comentário