19 novembro 2009

O Torrista - Um Trabalho nas Alturas



As atividades do trabalhador offshore chamado de “torrista” (derrickman) envolvem trabalho nas alturas, tendo recebido essa definição para sua função devido desempenhar parte de suas funções no alto da torre de perfuração das plataformas de terra e offshore.

O Código Brasileiro de Ocupações classifica o torrista sob o Nº da CBO: 7-14.40 e define suas funções de modo a executar, em plataforma elevada, manobras de descida e retirada da coluna de perfuração nas operações de sonda, acionando motores, lubrificando as partes móveis das bombas de lama e desempenhando outras operações correlatas, a fim de concorrer para o aceleramento dos trabalhos de sondagem de petróleo; vigiar as condições de circulação do fluido de perfuração, observando o retorno e trajeto do mesmo, registrando a viscosidade e a densidade horária, em formulários apropriados, para detectar qualquer variação dos níveis nos tanques de armazenamento, ou vazamentos no circuito; efetuar o tratamento do fluido de perfuração, de acordo com ordens superiores (engenheiro químico de fluidos), fazendo verificações periódicas das características do mesmo e corrigindo-as por adicionamento de produtos químicos, para facilitar o trabalho de sondagem; mantém em condições regulares de funcionamento dos instrumentos, ferramentas e equipamentos componentes do sistema de perfuração, substituindo peças, efetuando lubrificações e outras tarefas de manutenção, para assegurar a continuidade do processo produtivo.



A queda é a maior preocupação do pessoal da segurança - engenheiro e técnico de segurança - com o torrista é a queda, porém o vídeo abaixo outro tipo de situação que este trabalhador offshore está exposto.





No vídeo observa-se o torrista posicionado junto aos tubos de perfuração aguardando a passagem da “catarina” (ver dicionário já publicado) para então certificar se a “girafa” posicionou o tubo corretamente, porém a catarina passa direto e destroi o coroamento da torre acima do torrista derrubando toda estrutura ao piso da plataforma. Veja o vídeo entitulado de “Plataformista sortudo” (Lucky roughneck).







video






Referência:
1.Código Brasileiro de Ocupações do Ministério do Trabalho e Emprego –
http://www.mte.gov.br
2.Site Oil Rig Job -
http://www.oil-rig-job.com


14 comentários:

  1. O que pode ter ocorrido, o limitador não funcionou;o freio de emmergência também não?Situações como essas são comuns sim pois elas já ocorreram em outras sondas não só de perfuração como de completção.Ao passar o serviço deve-se testar o limitador do freio da catarina isso na sonda de completação, não sei se o mesmo ocorre na perfuração.

    ResponderExcluir
  2. Joventino,
    Foi exatamente essa explicação que me passaram.
    Foi um dia de sorte.
    Infelizmente, mesmo com tantos incidentes ainda não aperfeiçoaram o sistema.

    ResponderExcluir
  3. Eu trabalho como torrista e realmente só sabe quem passa por este momento igual ou quase parecido neto9094@hotmail.com

    ResponderExcluir
  4. gostaria de fazer este curso e trabalhar nessa área....o que vcs recomendam?,, é uma área perigosa ou agradável de se trabalhar?
    cadu. .juiz de fora Mg.
    o que é preciso pra conseguir essa vaga
    na petrobrás ou em outras empresas?
    técnicas?? abraço!esperando resposta ancioso,tenho 23 anos!

    ResponderExcluir
  5. Cadu,

    O trabalho em plataformas de petróleo e, assim como, nas unidades de perfuração (navio sondas, navios sísmicos e de apoio) tem inicio nas funções mais básicas. A função de torrista, citada neste artigo, é uma progressão de carreira partindo da função de homem de área --> plataformista --> assistente de torrista --> torrista, isto não é uma regra fixa, mas é o que se vê no dia-a-dia.
    Para quem está no inicio de carreira, vai depender do perfil do candidato, ou seja, nível de escolaridade, conhecimento técnico e experiências prévias.
    As empresas buscam avidamente por pessoas qualificadas vale a pena dar uma olhada em programas de qualificações como: PRONIMP (https://portal.prominp.com.br), cursos técnicos do CEFET e SENAI. Recomendo cautela ao investir em cursos sem reconhecimento e há muitos desses no mercado oferecendo emprego certo (o que duvido).
    Sugiro também veja o site Click Macaé em: http://www.clickmacae.com.br , este dará uma visão do que está acontecendo em Macaé, cidade onde se concentra a maioria das empresas offshore.
    Uma vez definido o seu perfil, é buscar seu espaço no mercado.
    Boa Sorte e mande notícias do seu sucesso
    Orlando

    ResponderExcluir
  6. Olá Orlando,
    muito boas as suas explicações acima, são muito esclarecedoras.
    Vou fazer cursos de Salvatagem, Huet e Homem de Área, gostaria se você puder, de saber qual o salário total (atual)de um Homem de Área. Desde já agradeço. Um abraço!

    ResponderExcluir
  7. Prezado Amigo,

    Diante da sua pergunta e de outras que tenho recebido, resolvi criar um 'post' a respeito.

    Dê uma olhada no artigo "Roustabout:Um trabalhador para toda obra." publicado em 10 Março 2011. Segue o link: http://offshorebrasil.blogspot.com/2011/03/o-homem-de-area-um-trabalhador-para.html

    Boa sorte na sua busca e não deixe de nos contar do seu sucesso

    ResponderExcluir
  8. Eu acabei a pouco tempo meu curso de auxiliar de plataforma e queria saber se é uma área boa para se trabalhar.. agradeço pela resposta.

    ResponderExcluir
  9. bom dia amigo, tenho o curso de eletrotécnica pelo cefet-ba, tenho um ano de experiência elétrica gostaria de saber se tenho condições de trabalhar como homem de area.
    obrigado

    ResponderExcluir
  10. Caro Felipe e Jefferson,
    O mercado de trabalho em plataformas offshore é sempre promissor, porém não há garantias.
    Há uma carência enorme de mão de obra qualificada no setor.
    Eu sugiro cadastrar o currículo em site de RH especializados como o "Rigzone" e "Click Macaé" entre outros.
    Sugiro, também, ter o domínio do idioma inglês e tomar cuidado ao escolher cursos que talvez não agregam valor de mercado e não capacitam e ou não qualificam o aspirante a trabalhador offshore, somente captam dinheiro.
    Boa Sorte

    ResponderExcluir
  11. Boa tarde Orlando.
    já a algum tempo venho me qualificando em busca de um emprego offshore.. fiz o superior em oil e gas tbm o plataformista ,fiz o investimento no cbsp e heut agora fiz o operador logistico e nao paro de enviar emails para as empresas...o que deve esta acontecendo?

    ResponderExcluir
  12. Matheus,
    São vários os fatores que influenciam uma contratação. Acho que um bom parâmetro seria o número de entrevistas que você consegue ser chamado com seu currículo. Esses fatores podem ser: endereço de residência, experiência de campo, idade, falar inglês entre outros.
    Sugiro que personalize seu currículo de acordo com a vaga que se candidata, p.ex.: vaga de auxiliar de serviços gerais (igualmente chamado de homem de área e ou roustabout), destaque seus curso como movimentação de carga, CBSP e HUET.
    Quanto aos cursos, algumas empresas, principalmente as multinacionais, não aceitam cursos como CBSP, HUET, PLATAFORMISTA, RADIO OPERADOR, MOVIMENTAÇÃO DE CARGA de qualquer escola de qualificação. Fique atento a isso!!!
    Caso queira continuar esta conversa, envie-me o seu email.
    PERSISTA!!! ACREDITE!!!
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  13. Caro Orlando! Li suas postagens e comentários sobre o mundo Offshore. Gostaria de demonstrar minha admiração e respeito por todo seu conhecimento. Um grande abraço, Luiz Tatá Santos S.P.

    ResponderExcluir
  14. Quem faz o que gosta não trabalha se distrai.

    ResponderExcluir